Como Se Organizar para a Chegada do Bebê

Quem acompanha as minhas redes sabe que estou vivendo essa fase da gravidez e com isso, muitas mudanças já aconteceram e muitas ainda estão por vir.

Para não me perder em meio às consultas, exames, escolha da maternidade, plano de parto, enxoval, chá de bebê, etc., tenho me atentado ainda mais à organização e neste post, vou compartilhar o que já fiz, tenho feito e que me ajuda muito no dia a dia a preparar a vida, num geral, para a chegada do bebê.

1. Listar tudo o que precisa ser feito antes do nascimento

Quando soubemos da notícia, várias coisas passaram pela minha cabeça e a do marido e ficamos preocupados com o tanto de coisa a fazer. Para não nos enrolarmos e podermos fazer tudo com mais tranquilidade, sentamos um dia para fazer uma lista do que realmente precisávamos fazer antes do nascimento do bebê como, por exemplo:

  • desmontar o escritório para dar espaço ao quarto do bebê
  • separar e doar as coisas que não eram mais usadas há pelo menos 1 ano
  • pintar o apartamento
  • comprar os móveis do quarto do bebê 

Claro que há muitas outras coisas, mas aqui vale não considerar os itens do enxoval em si, só as tarefas maiores. Já explico nos próximos itens sobre a questão do enxoval.

2. Colocar prazos para cada item listado

Uma gestação tem, em média, 40 semanas, mas não podemos contar que o bebê só virá a partir desse período, pois muitos nascem antes.

Por isso, é importante estipular prazos para que até à 34ª semana esteja tudo pronto. Assim também, você poderá desfrutar o final da gravidez com a tranquilidade de que o necessário (e provavelmente muito além) já foi feito.

Uma sugestão muito útil que deram para nós foi adquirir os móveis do bebê o quanto antes, já que o prazo de entrega era de pelo menos 30 dias e no final de ano, poderia estender para até 60. E por serem móveis novos, o ideal seria deixar o maior tempo possível com as portas e gavetas abertas para ventilação e assim, tirar aquele cheiro mais forte da madeira.

3. Tarefas e prazos estipulados? Vamos às pesquisas!

Depois dos dois primeiros itens, começamos a pesquisar valores, fornecedores, formas de pagamento e prazos para, com base nisso, alinhar as nossas necessidades às finanças da casa.

Claro que gostaríamos de fazer tudo o que tivéssemos direito, mas as prioridades junto com o bolso precisam sempre estar bem alinhados para não nos enforcarmos depois. E isso é a última coisa que queremos, ainda mais com um bebê a caminho.

4. Use e abuse de listas físicas ou aplicativos para organizar as informações

Posso falar por experiência própria: conforme as semanas passam, menos memória (e paciência) você tem para lembrar de detalhes. Por isso, tenho usado muito um ‘to do list’ e a minha agenda do Google para sincronizar todas as tarefas, prazos e compromissos pessoais e também profissionais.

5. Pesquise a época do ano que o bebê vai nascer para, então, fazer a lista do enxoval.

Vi muitos pais fazerem enxovais enormes e completos para até 2 anos da criança. Até que me perguntei “Será que o bebê vai mesmo precisar de tudo isso?”. E muitas pessoas me responderam que não.

O meu bebê vai nascer no verão, então não faz muito sentido perdermos tempo e dinheiro comprando blusas e macacões de frio para recém nascido, por exemplo. Claro que teremos roupas de frio para ele, mas só algumas e não muito pequenas como para um recém nascido.

Decidimos que teremos alguns itens para emergências e conforme mudanças de tempo, compraremos de acordo com a necessidade.

Na Internet, você consegue ter acesso à várias listas prontas de enxovais. Mas uma outra sugestão: preocupe-se com o que está faltando ou não da lista só após o chá de bebê ou fraldas, se você fizer. Nós estamos há 3 meses da reta final e já ganhamos muita coisa! E olha que o chá de bebê ainda vai acontecer. Imagina se já tivéssemos feito o enxoval! Teríamos muito além do necessário.

6. Se você trabalha em casa, tem um negócio próprio, organize o seu cronograma. 

Eu analisei os meus serviços e atual demanda e ajustei os meus horários e atendimentos para que eu possa cumprir com os meus compromissos até um mês antes da data prevista do parto, pois se houver alguma urgência, ainda consigo resolver, mas não fico comprometida com todo um projeto próximo ao nascimento.

7. Respire e peça ajuda!

Tudo listado, com prazos estipulados, os fornecedores estão com os seus pedidos em andamento, a casa vai tomando nova forma e a sua rotina tem se ajustado conforme demanda e novas necessidades. Então, respire e relaxe! É difícil, mas é importante que você saiba que você já tem feito tudo o que está ao seu alcance e caso precisar, peça ajuda!

Assim, nós, mulheres, já vamos nos acostumando a tirar o peso das costas de sermos a Mulher Maravilha, a que tem que dar conta de tudo, porque isso ser humano nenhum consegue.

E você vai perceber como há muitas pessoas queridas querendo ajudar e participar dessa sua nova fase.

O mais importante de toda essa organização é que, com isso, você possa otimizar tempo e dinheiro e curtir uma gravidez (ou pelo menos o final dela) muito mais tranquila, só esperando mesmo o bebê.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *