9 Dicas Essenciais para Planejar o seu Intercâmbio | Parte 2

Nesta 2ª parte, eu vou dar foco ao planejamento do intercâmbio em si, ou seja, como eu e o marido fechamos a agência, escola, passagens aéreas, hospedagem, etc. Se você não viu a 1ª parte (link AQUI), sugiro que comece por lá e depois, volte aqui para dar continuidade ao planejamento, combinado?

Já gostaria de deixar claro que, independente do que eu compartilhar aqui, estas são apenas sugestões. Você adapta e escolhe o que é melhor para a sua vida, tudo bem?

Enfim, com a parte financeira já planejada, sugiro o seguinte passo a passo:

1. Se você já tem o país do seu intercâmbio definido, verifique e já providencie o passaporte e visto. Dependendo do país do seu intercâmbio, pode ser que este processo leve meses. Para não ter nenhum imprevisto e dor de cabeça com isso, pesquise todas as informações sobre estas questões em sites oficiais.

2. Converse e pesquise muito sobre indicações de agências de intercâmbio. Sabe aquele ditado “Indicação é a alma do negócio”? Isso se aplica muito neste caso. Assim, você tem uma versão real das experiências de pessoas mais próximas. E procure buscar referências de intercâmbios realizados há, no máximo, 6 meses. Muita coisa pode mudar em 1 ano e isso inclui a reputação de uma empresa.

3. Antes de escolher a escola e duração do curso, pense no objetivo da sua viagem. As aulas podem durar até metade de um dia ou terminar só no final da tarde. Tudo depende do seu objetivo lá. Você tem pouco tempo e quer impulsionar o idioma o máximo que puder? Sugiro que faça o intensivo com aulas em período integral. Porém, se você tem mais de 1 mês, por exemplo, e tem interesse também em conhecer o lugar e as pessoas, então sugiro fazer as aulas por meio período.

4. Pense também nas suas prioridades, estilo de vida e condições financeiras para definir a sua hospedagem. As agências já vão te mostrar opções de casas de família (opção mais baratas) ou alojamento de faculdades ou ainda, hotéis na região. Esta escolha é muito relativa! No meu caso e do marido, optamos por alugar um estúdio, através do Airbnb (opção mais barata que hotéis, mas não tanto quanto um aluguel local, porém mais seguro que este último). Como moramos juntos, preferimos a nossa privacidade e manter a rotina que já tínhamos no Brasil. Outro detalhe importante é pesquisar o local da sua hospedagem e a facilidade de locomoção e acesso à escola.

5. Analise as opções e valores de passagens aéreas, antes de verificar este item com a agência. Vimos uma pequena diferença de valores das companhias para as agências, mas o que pesou bastante em nossa decisão foi considerar os pontos que tínhamos acumulados através dos nossos cartões de crédito. Isso nos rendeu uma economia em torno de R$ 2.000,00! Sim, dois mil reais! Então, analise bem as opções antes de fecha-las. Isso pode te render uma grande economia.

6. O quanto antes você providenciar e fechar, pelo menos, os itens principais da viagem, mais você economiza. O ideal é providenciar tudo com até 6 meses de antecedência, mas claro que isso pode não ser possível, devido à muitas pessoas correrem o risco de receberem uma confirmação, da empresa onde trabalham, em cima da hora. Esse é sempre o caso do marido e por isso, programamos sempre uma reserva a mais para gastos maiores que houverem por conta disso.

Tudo fechado?

7. Prepare uma pasta só para os documentos relacionados à viagem, para ficar na sua mochila ou bolsa, com fácil acesso.

  • Passaporte
  • Documentos pessoais (CNH ou RG)
  • Carta da Escola sobre o seu curso e duração
  • Carta da família que vai te receber no país ou voucher da sua hospedagem
  • Vouchers de ida e volta da sua passagem aérea
  • Comprovação de renda atual (dependendo da imigração, eles perguntam qual valor você tem em conta para a viagem)

8. Tenha mais de uma forma de pagamento disponível no seu dia a dia, ou seja, ao invés de levar apenas dinheiro, sugiro que pesquise e providencie cartões pré pagos que funcionam como um cartão de débito no exterior. Nós levamos o da Confidence Câmbio e achamos bem prático, pois pudemos fazer as recargas de forma online mesmo. Além disso, deixe um cartão de crédito internacional disponível, mas apenas para últimas emergências. A taxa deste último é muito mais alta, mas caso houver algum imprevisto, você não ficará na mão.

9. Vá com uma lista pronta das compras e deixe para faze-las apenas na última semana da sua viagem. Por mais tentador que seja, isso fez com que eu e o marido ficássemos mais focados em nosso principal objetivo (os estudos), além de conseguirmos fazer escolhas mais inteligentes, aproveitando melhor o dinheiro que disponibilizamos para isso e evitando apertos financeiros, já que o dólar, no meio da nossa viagem, disparou quase R$ 1,00 a mais para cada CAD 1,00.

Aproveitando este último item, vimos alguns colegas e outros estudantes muito preocupados e entrando em contato com pais, parentes e amigos para emprestarem ou providenciarem o envio de mais dinheiro para eles, pois não haviam se programado para este imprevisto de alta da moeda. Fica a dica!

O post é mais longo e detalhado, mas tudo isso resultou num intercâmbio mais tranquilo, muito bem aproveitado, tanto de forma acadêmica como experiência de vida e sem dores de cabeça na volta para a casa.

Espero que tenha gostado deste assunto e compartilha aqui também a sua sugestão e dica sobre isso! 😉

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *